5 atividades extras para melhorar o desempenho na patinação

quarta-feira, 31 de maio de 2017
Boa noite!

Já falamos por aqui que o treinamento fora e dentro do gelo dos patinadores é bem intenso. Além de tudo isso, a maioria dos patinadores faz outras atividades físicas com o objetivo de melhorar o desempenho nas apresentações. Resolvemos falar um pouco sobre alguns desses exercícios. Vamos lá?


 Fonte


Musculação

Os patinadores precisam de muita força muscular para realizar todos aqueles movimentos e saltos, por isso a musculação é uma atividade muito recomendada para eles. Imagino que todos eles façam essa atividade com o objetivo de aumentar a força e a resistência.


Fonte


Corrida

Também vemos que muitos patinadores correm, seja na esteira ou na rua. A corrida é um excelente exercício cardiovascular e é ótimo para aumentar a resistência e para aquecer o corpo antes de entrar no gelo.


Fonte

Bicicleta

Outra atividade bem comum é andar de bicicleta. É um ótimo exercício para aumentar a força nas pernas, melhorar a coordenação motora e a resistência e se aquecer. É bem normal ter bicicletas ergométricas disponíveis nas competições para que os patinadores utilizem durante o aquecimento.


Fonte

Pilates / Yoga

Essas duas atividades tem algumas semelhanças e muitos patinadores praticam uma das duas. Os dois tipos de exercício tem benefícios como aumentar a flexibilidade, melhorar a resistência, evitar lesões, melhorar a postura, melhorar a coordenação motora, melhorar a concentração e a respiração entre outras coisas. Além disso os dois exercícios também são relaxantes e reduzem o estresse.


Fonte

Dança / Balé

O balé é o tipo de dança mais comum entre os patinadores, pois além de ser ótimo para aprimorar a parte artística é excelente para treinar flexibilidade e equilíbrio. Alguns patinadores gostam de fazer outros tipos de dança, como jazz, zumba e dança de salão, por exemplo. Aliás, a dança de salão é bem útil para as categorias pares e dança no gelo. Outro benefício de fazer dança é melhorar a parte coreográfica.


 Fonte


Essas são as atividades mais comuns que vemos os patinadores praticarem. Com certeza tem outros exercícios que eles fazem visando melhorar suas habilidades de patinação. Muitas dessas atividades costumam fazer parte da programação dos acampamentos de patinação.

Até  o próximo post!

Destaques da temporada 2016-2017

segunda-feira, 29 de maio de 2017
Olá, tudo bem?

Agora que  acabou a temporada, é hora de relembrarmos alguns momentos marcantes.


Feminino


No feminino, tivemos mais um ano de domínio absoluto de Evgenia Medvedeva, que venceu tudo o que disputou, aproveitando para quebrar alguns recordes no processo. Sua liderança foi ainda mais absoluta do que na temporada anterior.

Apesar disso, tivemos uma temporada com menor domínio russo. Embora 4 russas tenham chegado a final do Grand Prix, o segundo lugar raramente foi para alguma delas. Satoko Miyahara ficou em 2º lugar no Grand Prix, mas acabou abandonando o resto da temporada por causa de uma contusão. Em seu lugar ficaram as canadenses Kaetlyn Osmond e Gabrielle Daleman, que conseguiram chegar ao pódio do mundial.

Das russas, Anna Pogorilaya fazia uma temporada muito boa até o longo do Mundial, quando acabou tendo má atuação. Maria Sotskova teve uma ótima temporada de estreia, mas não tem tido sucesso em chegar ao pódio nas competições mais disputadas. Elena Radionova não tem repetido as boas atuações da temporada passada, embora ainda fique nas primeiras posições. Vamos ver se ela se recupera.

As novatas mais promissoras certamente foram Maria Sotskova e Mai Mihara, que parece ter ocupado de vez o segundo posto do Japão.

Essa temporada também marcou a primeira vitória brasileira em um evento internacional da ISU. Isadora Williams venceu o Sophia Trophy, mostrando que cresceu como patinadora. 

No junior, temos Alina Zagitova, que vem disputando em pé de igualdade com as principais russas no campeonato nacional. O mesmo pode ser dito de Marin Honda no Japão. Além delas, destacamos também Anastasiia Gubanova, que costuma ter apresentações lindíssimas.


Masculino


 Tivemos um ano em que alguns dos principais atletas não foram muito bem na maior parte do tempo. Javier Fernandez esteve bem fora de forma, mesmo quando ganhou o Europeu. Patrick Chan também teve dificuldades na maior parte da temporada.

Yuzuru Hanyu misturou bons e maus momentos. Raramente fez apresentações limpas, mas o grau de dificuldade dos elementos e sua parte artística acabaram conseguindo suplantar algumas apresentações irregulares. Não dá para dizer que alguém que venceu o Grand Prix e o Mundial foi mal, mas  a irregularidade dele tem sido um motivo de preocupação. Ainda assim, destacamos o ótimo programa longo no mundial, que foi o momento em que vimos todo o potencial dele.

Alguns patinadores jovens tem evoluído bastante. Destaque para Nathan Chen, que venceu o Campeonato dos 4 Continentes, com seus 5 quádruplos no longo. Certamente foi a revelação da temporada. Shouma Uno conseguiu ir ainda melhor do que na temporada passada, e conseguiu ficar no pódio tanto no Mundial quanto no Grand Prix. Parece que está chegando a hora em que vai ser campeão de alguma das mais importantes competições internacionais.

No junior, há alguns russos  promissores, como Dmitri Aliev e Alexander Samarin. Imagino que não demore muito para eles ocuparem postos no sênior, já que os atletas de agora não tem tido resultados muito consistentes. Já os EUA podem ter mais um grande nome, se Vincent Zhou continuar evoluindo.

Pares



A China mostrou grande força na categoria, com destaque para os Yu Xiaoyu / Zhang Hao e Sui Wenjing / Han Cong. Destaque também para a Alemanha, com Aliona Savchenko / Bruno Massot, que ficaram em 2º lugar tanto no Europeu quanto no Mundial. Finalmente, temos Evgenia Tarasova / Vladimir Morozov, da Rússia, que venceram o Grand Prix.

No júnior, destacamos os australianos Ekaterina Alexandrovskaya / Harley Windsor, que venceram o Mundial. A Austrália vem aos poucos apresentando novos nomes na patinação. Vamos ver quais frutos serão colhidos com esse projeto. Mas esse par promete.


Dança


A temporada foi dominada  pelos canadenses Tessa Virtue / Scott Moir, seguido de perto pelos franceses Gabriella Papadakis / Guillaume Cizeron, que foram a grande revelação da temporada. Os campeonatos tem sido bem disputados por essas duplas, que treinam juntos no mesmo rink, conforme falamos aqui.

Os americanos Maia Shibutani / Alex Shibutani também tem tido boas atuações e contam com várias boas atuações.

No júnior, o destaque é para os americanos Rachel Parsons / Michael Parsons, que venceram tanto o Grand Prix quanto o Mundial.


E vocês, tem algum destaque da temporada passada?

Até mais!


Review | pista Américas on Ice, Rio de Janeiro

sábado, 27 de maio de 2017
Olá, tudo bem?


Hoje vamos fazer mais um review de pista. Dessa vez vamos falar do Estação  on Ice, do Américas Shopping, no Rio de Janeiro. Neste review, não vamos dar notas, pois chegam a conclusão de que simplesmente não dá para comparar pistas com propostas completamente diferentes. Um ginásio de gelo, principalmente de tamanho olímpico, sempre vai estar há léguas de distância de uma pista de shopping. Mas é meio injusto avaliar as duas com o mesmo critério, pois uma tem muito pouco a ver com a outra. Acho que as pessoas tem mais a ganhar com o que falamos de objetivo, mais do que com notas subjetivas.

Fonte



Também tem aulas de patinação, o que torna um lugar um pouco mais agradável e aberto para quem quer realmente aprender a patinar

Fomos apenas uma vez lá e faz um tempinho. Por isso pode ser que algumas coisas tenham mudado.

Infelizmente, ainda está bem longe do padrão de uma pista de competição e tem pilastras no meio dela, o que atrapalha um pouco. Mas considerando que é uma pista de shopping, o gelo é bem cuidado e até que o tamanho é razoável. Ela acaba quebrando o galho do pessoal do Rio que quer patinar de forma mais séria e não tem onde treinar.

Os funcionários foram bem atenciosos e gentis, o que costuma ser raro nas pistas (embora ultimamente eu esteja dando mais sorte nesse quesito).

Os equipamentos seguem aquele padrão de shopping. Capacetes, joelheiras e cotoveleiras são obrigatórias (para profundo desgosto de todo mundo que vê patinação como um esporte). Também é obrigatório o uso de luvas, então é altamente aconselhável levar as suas próprias, pois via de regra esses equipamentos para empréstimo não são as coisas mais limpas do mundo. Lá eles dão uns plásticos de proteção, mas ainda é nojento.

Os patins eram razoáveis. Não eram os piores que já pegamos em empréstimo mas estavam longe de serem os piores.

Um detalhe: quando fomos a pista estava quase toda vazia, o que foi uma maravilha. 

Para quem está no Rio, pode valer a pena conhecer, pois é uma pista de shopping bem arrumada. Mas se preparem: o Recreio dos Bandeirantes é um bairro bem afastado, a não ser que você esteja na região da Barra da Tijuca.


Até mais!





Fantasy on Ice 2017

quarta-feira, 24 de maio de 2017
Boa noite!

A partir do dia 26/05 vai começar o tour Fantasy on Ice. Esse show acontece todos os anos no Japão e conta com a participação de ótimos patinadores. 




Este ano o evento acontecerá nas seguintes cidades:

Makuhari - do dia 26/05 ao dia 28/05
Kobe - do dia 09/06 ao dia 11/06
Niigata - do dia 16/06 ao dia 18/06


Aqui está a lista dos patinadores convidados: 

Japão
 
Yuzuru Hanyu
Shoma Uno
Mai Mihara
Marin Honda
Kaori Sakamoto
Rika Kihira
Nobunari Oda
Shizuka Akakawa
Miki Ando
Akiko Suzuki


Estrangeiros

Javier Fernandez
Deniss Vasiljevs
Elladj Balde
Evgenia Medvedeva
Carolina Kostner
Anna Pogorilaya
Evgeni Plushenko
Stephane Lambiel
Jeffrey Buttle
Johnny Weir


Dança no gelo
 
Gabriella Papadakis / Guillaume Cizeron
Anna Capellinni / Luca Lanotte


Acrobacias

Oleksiy Polishchuk / Vladimir Besedin


Artes circenses

Marie-pierre Leray
Alexander Chesna / Ekaterina Chesna


Além dos shows de patinação, o evento conta com outros artistas. Este ano terá a participação da Maki Ohguro, do Keizo Nakanishi, do Shinya Kiyozuka, da ANRI, do Norimasa Fujisawa e do Kohshi Kishita.


Esses shows devem ser incríveis, né?
 Se a gente achar algum link depois que o tour acabar, postaremos aqui.

Até o próximo post!



Top 5 | Melhores programas longos da temporada 2016-2017

quarta-feira, 17 de maio de 2017
Olá, tudo bem?

Fonte

Hoje vamos falar sobre os programas longos que mais gostamos de toda temporada. Não é uma lista técnica, e sim gosto pessoal. Nós optamos por não colocar uma ordem. Sem mais demora, aqui estão os programas:

Satoko Miyahara - Final do Grand Prix




Satoko não foi bem no início da temporada, mas acertou em cheio o seu belo programa longo, que foi bem diferente e interessante. Pena que não pudemos vê-lo no resto da temporada, já que ela se machucou e ficou fora do Mundial. Bem que ela podia repetir para a próxima temporada.


Evgenia Medvedeva - Mundial




 Achei especialmente interessante no programa da Evgenia que dependendo do dia, a mensagem no telefone no fim do programa podia ser positiva ou negativa. Destaque também para a combinação 3-3-3 que ela chegou a apresentar algumas vezes, embora não tenha sido contada na pontuação.


Nathan Chen - Campeonato dos Quatro Continentes




Nathan conseguiu bater Yuzuru Hanyu com um programa de cinco quádruplos no Campeonato dos Quatro Continentes e se afirmou como um dos favoritos em qualquer campeonato. Foi um momento marcante. E também gostamos bastante da música escolhida.


 Yuzuru Hanyu - Mundial




Foi difícil ver Yuzuru Hanyu apresentar um programa limpo na temporada. Mas no longo do mundial ele finalmente mostrou o que todos queriam ver. Foi uma apresentação impecável, que o fez quebrar o recorde mundial do programa longo. A música também é linda.


Mai Mihara - Mundial




Depois de ir mal no curto, Mai Mihara conseguiu se superar em seu primeiro mundial. Ela fez um programa longo lindo. Nós adoramos os filmes da Disney e realmente é muito bom ver alguém patinando tão bem com uma música dessas. Foi um momento muito emocionante. E pensar que ela teve uma lesão séria ano passado e correu o risco de nunca mais patinar. Isso tem tudo a ver com o espírito de Cinderella.


E então, gostaram da lista? 
Quais programas longos vocês mais gostaram em toda a temporada?
Para ver quais foram os programas curtos que mais gostamos clique aqui :)

Até mais!




Shoma Uno

segunda-feira, 15 de maio de 2017
Olá, tudo bem?

Hoje vamos falar sobre o japonês Shoma Uno, que apesar da pouca idade já está entre os melhores patinadores da atualidade.
Shoma Uno nasceu em Nagoya no ano de 1997. Começou a patinar com 5 anos, passando a treinar no rink de Nagoya, o mesmo que produziu as campeãs Midori Ito, Miki Ando e Mao Asada. Algumas de suas primeiras impressões no gelo são dele tentando seguir Mao, que treinava lá naquela época.

Seu primeiro bom resultado foi um terceiro lugar no campeonato japonês júnior de patinação da temporada 2009/2010. Dois anos mais tarde, Shoma conseguiu duas medalhas nas Olimpíadas da Juventude: prata na categoria masculina e ouro nos times.  As medalhas no Mundial Júnior e na final do Grand Prix vieram mais tarde, na temporada 14/15. Nessa temporada, Shoma obteve o recorde júnior de programa curto, que detém até hoje.

A ida para os profissionais foi muito bem sucedida. Logo na primeira temporada chegou na final do Grand Prix e obteve a medalha de bronze, disputando contra patinadores consagrados e experientes como Patrick Chan, Yuzuru Hanyu e Javier Fernández. Após um quarto lugar no Campeonato dos Quadro Continentes, Shoma teve sua primeira grande decepção como profissional: uma má apresentação no programa longo o deixou apenas na sétima posição do Mundial.

Fonte


Mais experiente e disposto a dar a volta por cima, Shoma teve uma atuação ainda melhor na temporada 16/17. Repetiu o terceiro lugar na final do Grand Prix, conseguiu a medalha de bronze no Campeonato dos Quatro Continentes, venceu o Nacional Japonês e também fez parte do time campeão no Troféu Mundial de Times. Mas sua grande conquista talvez tenha sido o segundo lugar no Mundial, mostrando que a distância entre ele e Yuzuru Hanyu diminuiu desde o último ano.

Shoma foi o primeiro atleta a conseguir pousar o quádruplo flip em uma competição. Ele atualmente tem 6 quádruplos em seus programas; 4 no longo e 2 no curto.


Uno é bastante tímido e diz que nunca foi bom em outros esportes além da patinação. Seu ídolo é Daisuki Takahashi. Uno admira a parte artística das apresentações dele e tenta vencer a timidez para fazer programas com mais elementos artísticos.


Hoje ficamos por aqui. 
Estamos sempre aceitando sugestões de patinadores para este tipo de post.

Até mais!
.


Acampamentos de patinação

sábado, 13 de maio de 2017
Boa noite!

A temporada acabou e é o momento dos patinadores tirarem um tempo para relaxar. Também é o momento em que eles podem aprimorar suas habilidades para começarem a próxima temporada com força total. 



Os acampamentos de verão de patinação artística no gelo (figure skating summer camp) acontecem no intervalo entre uma temporada e outra. Os patinadores recebem treinamentos intensivos e podem evoluir muito, além de se divertir! Em países como Estados Unidos e Canadá os acampamentos são bem comuns. A federação japonesa tem um acampamento para desenvolver e captar novos talentos, como mostramos neste post, mas imagino que seja fechado para japoneses.

Os acampamentos mais famosos recebem patinadores do mundo todo e oferecem aulas com treinadores famosos mundialmente. Normalmente os patinadores recebem treinamento intenso no gelo e treinamento off-ice também. 

Normalmente os patinadores são divididos em grupos de acordo com suas habilidades. Alguns acampamentos também os divide por categoria, ensinando habilidades específicas para homens, mulheres, dança no gelo, pares e sincronizado. Muitos acampamentos oferecem programas variados, que tem duração de alguns dias até o verão inteiro.

Alguns acampamentos são muito completos, incluindo sala de balé e jump harness. Outros atrativos oferecidos pelos acampamentos são: clínicas especiais, competições, shows, testes e aulas de flexibilidade, força, condicionamento, balé, yoga, pilates, atletismo, jazz e dança contemporânea, entre outras coisas. Alguns acampamentos tem como convidados especiais patinadores famosos. Por exemplo, a patinadora canadense Gabrielle Daleman vai visitar este acampamento neste verão.

Os preços são bem variados. Vi acampamentos que custam $80,00 dólares por semana até alguns que custam uns $650,00 dólares por semana. Muitos acampamentos oferecem desconto para quem fica mais tempo. Alguns também oferecem a opção de fazer só um dia de aula. Cada acampamento tem suas regras, então se você tem interesse, é melhor entrar no site para verificar o que eles oferecem e quanto custa. Acampamentos com patinadores ou treinadores famosos custam bem mais caro. Então o jeito é pesquisar bastante. Aqui tem uma lista com os principais acampamentos dos Estados Unidos, mas lá tem muito mais do que esses 12 listados.

Infelizmente ainda não temos esses acampamentos por aqui. Mas nos campeonatos regionais do Rio e de São Paulo parece que ofereceram oficinas para os participantes. No máximo temos acampamentos normais de verão como este, que tem pista de gelo, mas apenas para recreação. Pode ser que alguma escola de patinação aqui do Brasil ofereça algum programa especial durante as férias, vocês podem ligar e se informar.



Bom, é isso!
O que vocês acham desse tipo de acampamento? 
Vocês participariam se tivesse aqui no Brasil?

Bom fim de semana! :)

Top 5 | Melhores programas curtos da temporada 2016-2017

quarta-feira, 10 de maio de 2017
Olá, tudo bem?

 Hoje vamos falar sobre os nossos programas curtos favoritos da temporada. Não são exatamente os melhores programas, apenas os que mais gostamos. Dessa vez, preferimos não colocar uma ordem específica. Então, vamos a lista.

Fonte


Kaetlyn Osmond - Mundial




Kaetlyn fez uma ótima temporada. Era frequente ficar nas primeiras posições no programa curto, embora nem sempre conseguisse manter a boa atuação no longo. No fim do ano, ela conseguiu se aperfeiçoar e obteve a segunda posição no Mundial, com duas ótimas atuações.


Shoma Uno - Mundial




Shoma teve uma péssima experiência no mundial de 2016, no qual fez um programa longo péssimo e chegou a chorar no kiss and cry. Este ano ele estava determinado a sair com um sorriso em vez de lágrimas. E começou muito bem, ficando na liderança após o programa curto.


Evgenia Medvedeva - Mundial




Evgenia quebrou o recorde mundial diversas vezes ao longo da temporada. Mas apesar disso, o curto que mais gostamos dela foi o do Mundial, em que ela não quebrou o recorde. Sua consistência nos saltos e facilidade em interpretar é impressionante.


Boyang Jin - Mundial




Boyang não começou a temporada bem, mas foi crescendo bastante. O programa do Homem Aranha sempre teve muito potencial. Finalmente ele conseguiu acertar tudo no Mundial. É bom ver que ele vem crescendo cada vez mais.


Anna Pogorilaya - Europeu




A música escolhida por ela (o tango Por una cabeza) já foi usado por muitos patinadores, mas poucas vezes tão bem. A coreografia encaixa perfeitamente na música e os elementos foram bem executados.


E vocês, de quais programas curtos gostaram mais nessa temporada?

Até mais!

Tradução | O sucesso do treinador Brian Orser

segunda-feira, 8 de maio de 2017
Olá!

Hoje trouxemos mais uma tradução para vocês. É um artigo bem interessante sobre o Brian Orser, treinador de patinadores incríveis como Yuzuru Hanyu e Javier Fernández. Qual será o segredo do sucesso dele?


 Fonte



O sucesso de Brian Orser como treinador é baseado na filosofia de "tomar o controle"
por Beverley Smith


BOSTON - Verdade seja dita, o treinador Brian Orser raramente está em casa, viajando por todo o planeta para participar das competições de patinação artística no gelo com seus talentos fixos.

Mas esta semana em particular, ele nunca esteve tão ocupado. Neste campeonato mundial, o Toronto Cricket, Curling and Skating Club - onde Orser é o diretor de patinação - tem 10 competidores. Times de patinação de muitos países não são tão grandes (quanto este clube). O time do Cricket é multinacional, com patinadores da Espanha, do Japão, do Canadá e do Cazaquistão.

Para começar, Orser é treinador dos dois melhores homens da patinação no momento: o rei do campeonato mundial Javier Fernández, da Espanha e o campeão olímpico e detentor do recorde mundial Yuzuru Hanyu, do Japão.

https://ca.sports.yahoo.com/blogs/eh-game/brian-orser-s-success-as-coach-based-on--take-ownership--philosophy-224334547.html
Fonte


O patinador canadense Nam Nguyen - que já venceu o nacional do Canadá e ficou em quinto no mundial do ano passado - é o terceiro homem que Orser deve guiar neste evento. Ele também tem três competidoras na categoria feminina, incluindo duas campeãs canadenses.

Orser se tornou um treinador mestre. Ajuda o fato de ele ter visto o esporte por todos os ângulos: patinador campeão mundial, patinador profissional, juiz. Ele tem suas próprias filosofias, que parecem estar funcionando muito bem.

Uma delas é que é bom elevar o nível do esporte com todos estes quádruplos que vemos atualmente - o patinador chinês Boyang Jin é "de outro planeta", ele diz - mas Orser insiste que tudo isso não deve afetar a habilidade real de patinação, a parte artística e a capacidade de virar as lâminas.

"Para mim, como treinador, eu nunca vou deixar nada ficar no caminho da parte artística e do programa," disse Orser. "Eu quero que eles mostrem seus estilos e que continuem se desenvolvendo. Tanto Fernández quanto Hanyu continuam se esforçando em direções diferentes. Os programas dos dois - tanto curto quanto longo - são obras-primas," diz Orser.

Fonte


Orser teve uns bons dois meses de treinamento para gastar com Hanyu, que frequentemente cruza o planeta, às vezes passando um tempo em sua casa no Japão. E ele viu Hanyu na sua última lesão no dorso do pé esquerdo que o impediu de fazer saltos toe loop por sete semanas. Na temporada passada, Hanyu fez dois quádruplos toe loops (e um quádruplo Salchow) no seu programa longo.

Por causa da lesão, Hanyu foi treinado para fazer cinco quádruplos Salchows somando os programas curo e longo. "Então o quádruplo Salchow meio que encontrou seu caminho," disse Orser. E o feliz acidente de tudo isso? Um quádruplo Salchow vale mais que um quádruplo toe loop. Hanyu encontrou outra forma de quebrar seu recorde mundial de 330 pontos.

Esta semana, Hanyu vai fazer ambos os quádruplos em seu programa curto. Ele vai continuar fazendo três quádruplos no longo, mas dois deles vão ser quádruplos Salchows.

Orser tem que ter a disposição mental para trazer o melhor de pessoas de diferentes culturas. Isso funciona para Orser porque "O que ensinamos não é uma forma de bolo," ele disse, "Não é a minha maneira ou a forma certa. É qualquer coisa que seja melhor para o atleta."

Fonte


Ele disse que ficou um pouco preocupado quando Fernández, um descontraído encantador, conquistou seu título mundial. "Com isso, ele recebeu mais ofertas e não parou mais," disse Orser "Ele estava fazendo shows, e isso é ótimo. Mas eu estava um pouco preocupado que ele talvez se contentasse com isso."

"Como faremos para trazê-lo de volta para o gelo para treinar esta temporada?" ele se perguntou. Mas Fernández o surpreendeu ao tomar a iniciativa. Assim que ele voltou no último verão, ele veio trabalhar com foco.

Na final do Grand Prix em seus país natal, Fernández adicionou um seguindo quádruplo ao seu programa curto. Hanyu já estava fazendo isso e conseguindo notas incríveis. "Eu estava esperando pacientemente que Javi viesse com esta ideia por ele mesmo," disse Orser. "Então ele tomou posse disso, ao invés de eu propor: 'Ok, você vai fazer dois quádruplos no curto.' Ninguém quer fazer dessa forma."

Ele ensina seus atletas a tomarem o controle de tudo o que fazem. Ele diz para eles que eles são os chefes, mesmo os mais jovens. "Eles estão no comando, e então eles vão e patinam dessa forma," disse Orser.

Fonte

Orser era um treinador relutante no começo. Ele nunca pensou que estaria na posição que está hoje. "Eu sou tão abençoado por ter tantos patinadores talentosos que acreditam em mim, no meu time e em si mesmos," ele disse. "Eles trabalham duro. E eles amam patinar. Isso é importante. Eles adoram competir. Então eles têm todas as ferramentas."

E isso foi o que ele disse para Nguyen, quando ele saiu do gelo na terça depois de uma problemática prática na segunda. Ele é menos experiente no jogo do que Fernández e Hanyu. Mas ele tem o que precisa. Se não hoje, então amanhã.


Fonte

Título original: Brian Orser's success as coach based on 'take ownership' philosophy
Artigo postado originalmente no Eh Game no dia 29/03/2016
Escrito por Beverley Smith
Traduzido por Jennifer Claro


Fonte


Esperamos que vocês tenham gostado de saber mais sobre o Brian Orser.
Ele é um treinador excelente e ensina muitos patinadores talentosos. Brian também foi um ótimo patinador.

Tenham uma ótima semana!

Layback spin e Biellmann

sábado, 6 de maio de 2017
Olá, tudo bem?

Hoje vamos continuar falando sobre os spins. Dessa vez, veremos os layback spins, uma espécie muito bonita e difícil de spin, além do Biellmann, um elemento muito marcante da patinação. É necessária grande flexibilidade e geralmente é realizado pelas mulheres, mas há homens que também executam bem o movimento.

Layback spin


O layback clássico é feito com um pé, enquanto o corpo se reclina para trás da cintura e com mãos acima da cabeça.

Fonte

A entrada do layback é feita de forma similar ao forward scratch spin, a não ser pela perna livre, que começa na frente e depois vai para trás do patinador.

Da posição do upright spin, a parte superior do corpo vai para a posição oposta da perna livre, até se posicionar atrás da perna que está patinando em uma posição aberta. A posição ideal da perna livre é bem atrás da perna que está patinando, com o joelho na mesma altura ou um pouco superior ao pé livre.

É possível encontrar uma série de vídeos explicando os passos até chegar ao spin no Youtube, como esse daqui.

As posições criativas durante o spin são encorajadas. Há uma lista de alguns padrões disponíveis com fotos nessa página.

O julgamento dos spins a fim de definir o nível depende de alguns fatores. Os fatores gerais são usados em qualquer spin e são os seguintes:

1 - Variações difíceis
2 - Mudança de pé por salto
3 - Salto sem spin sem mudança de pé
4 - Variação difícil da entrada do flying/pouso com o mesmo pé no salto ou mudança de pé no pouso com um flying sit spin
5 - Entrada de costas
6 - Mudança clara de lâmina
7 - Todas as três posições básicas em cada pé
8 - Ambas as direções imediatamente seguidas uma da outra no sit ou camel spin
9 - Claro aumento de velocidade no camel, sit, layback ou Biellmann
10 - Ao menos 8 voltas sem mudança de posição/variação de pé ou lâmina

Os padrões específicos do layback spin são:

 
1 - Mudança clara na posição com pelo menos 3 voltas em cada uma
2 - Biellmann bem após o layback


Alguns critérios para o spin receber GOE positivo são:

1 - Boa velocidade ou aceleração durante spin
2 - Habilidade de centrar o spin rápido
3 -  Rotação balanceada em todas as posições
4 - Número de giros mais do que requerido
5 - Boa posição
6 - Criatividade e originalidade
7 - Bom controle durante todas as fases
8 - Harmonia com a estrutura musical

Para GOE negativo são contados
1 - Queda (-3)
2 - Posição não atingida (-2 e -3)
3 - Tocar o solo com ambas as mãos (-2)

Pontuação

 

A pontuação é contada da seguinte forma:




Biellmann


O Biellmann leva o nome da patinadora Denise Biellmann, que popularizou o movimento na década de 70. Outras patinadoras já o haviam realizado antes, como Cecilia Colledge, em 1937.
Embora possamos dizer que o Biellmann é uma outra modalidade de spin, na pontuação não há uma tabela específica para o Billmann, que é computado como uma variação difícil do layback ou do upright. Sendo assim, a pontuação entra nas tabelas desses dois tipos de salto. 

O Biellmann é um dos elementos mais bonitos e mais marcantes da patinação artística, sendo frequentemente usado como símbolo para o esporte, como podemos ver abaixo.

Fonte

O elemento é muito mais utilizado por mulheres, já que demanda grande flexibilidade. Mas há alguns homens que também apresentam o spin em seus programas, como Yuzuru Hanyu.


Fonte

A entrada do Biellman é a mesma do forward scratch spin. Começa com o crossover de costas, com saída no fio interno do pé direito e o pé esquerdo estendido atrás do corpo. O pé livre entra no círculo em um ângulo forte na lâmina frontal externa. Após o início do spin, o pé livre se dobra para trás e o patinador segura a lâmina com a mão direita, elevando a perna cada vez mais para cima. A outra mão também vai até a lâmina para ajudar na elevação (embora exista uma variação de Biellmann com apenas uma mão). Há duas outras variações: o pé livre para frente e o pé livre para o lado.


Fonte
 
Fonte

Há alguns vídeos interessantes ensinando a fazer um Biellmann, como esse daqui. Dá para ter uma ideia do quão difícil é chegar até essa posição, sendo necessário treinar muito a flexibilidade primeiro.

Nesse vídeo aqui podemos ver spins Biellmann de vários atletas, incluindo uma execução com apenas uma das mãos.

Por hoje ficamos por aqui. Continuaremos a ver outros spins no futuro.

Até mais!



Patinadores no dia a dia | Evgenia Medvedeva e Nathan Chen

quarta-feira, 3 de maio de 2017
Olá!

Hoje vamos começar uma nova série de posts aqui no blog! Resolvemos falar um pouco sobre o que os patinadores fazem no seu dia a dia, quando não estão patinando. Quais são seus hobbies, do que eles mais gostam... cada mês vamos tentar falar sobre uma menina e um menino ou uma dupla de dança no gelo ou pares! Os escolhidos de hoje são Evgenia Medvedeva e Nathan Chen.


Evgenia Medvedeva

https://www.instagram.com/p/BNUuSKhgzmD/

Evgenia é estrela da patinação no gelo atualmente. Já fizemos um post falando sobre ela aqui. Ela tem vencido todos os campeonatos que participa. Ela tem apenas 17 anos e já tem uma carreira de sucesso na patinação, mas o que será que ela faz no seu tempo livre? Será que com tanto treino sobra tempo para fazer outras coisas?

https://www.instagram.com/p/-cBhn2oa7U/


Zhenya é uma adolescente normal. Ela gosta de passar um tempo com sua família e amigos e de passear com seu cachorro. 

https://www.instagram.com/p/6zKANgoa9B/


Ela também gosta de relaxar, cuidar do cabelo e da pele e de fazer as unhas. 

https://www.instagram.com/p/6zKANgoa9B/


Ela adora mangá e anime, especialmente Sailor Moon, Yuri on Ice e as animações do estúdio Ghibli. Além disso ela adora séries, especialmente as britânicas e americanas. Sempre que pode ela faz maratona. Uma de suas séries favoritas é Sherlock e seu ator favorito é o Benedict Cumberbatch.

https://www.instagram.com/p/BEg85tFIazu/


Ela também adora música (todos os tipos, de clássica a rock), desenhar e aprender línguas estrangeiras. Ela também tentou aprender a tocar guitarra, mas acabou desistindo por enquanto.

https://www.instagram.com/p/BGMZ3O4oa5P/


Nathan Chen


https://www.instagram.com/p/BTcLcKSguLX/


Nathan Chen também tem 17 anos e uma carreira promissora na patinação. Já conseguiu medalhas em campeonatos importantes e é o atual líder da patinação masculina nos Estados Unidos. Ele vem sendo conhecido por adicionar muitos saltos quádruplos em seus programas e para isso tem uma rotina bem puxada de treinos. Será que ele consegue fazer tantas coisas coisas no seu tempo livre quanto a Evgenia?

https://www.instagram.com/p/_VNcerQ2DR/


Além de patinar no gelo, Nathan já competiu na ginástica artística por 7 anos. Ele também faz balé. O patinador também faz aulas de piano no seu tempo livre e gosta muito de tocar este instrumento. Ele também adora animais!

https://www.instagram.com/p/1cLTNnQ2EW/


Seus principais hobbies são leitura e ciclismo. Sua série de livros favorita é Percy Jackson, de Rick Riordan, pois adora mitologia.

https://www.instagram.com/p/BRmaqtDgocq/


Seu filme favorito é Tron: o legado. Quando assiste televisão, Nathan dá preferência para programas de ciências. Ele também adora assistir Disney Chanel e Food Network Challenges.

https://www.instagram.com/p/BIvdbLwBIXe/



É impressionante como eles fazem tantas coisas, né? Mas é muito importante que os patinadores tenham esses momentos de relaxamento quando não estão treinando duro. Esperamos que vocês tenham gostado de saber sobre os hobbies da Evgenia e do Nathan. No próximo mês escolheremos mais dois patinadores para postar! Aceitamos sugestões também!

Até mais!

Disney on Ice 2017

segunda-feira, 1 de maio de 2017
Olá, tudo bem?

Já falamos aqui sobre o Disney on Ice, espetáculo de patinação mais famoso a se apresentar no Brasil. Em 2017, o show Festival Mágico no Gelo trará apresentações relacionadas às seguintes animações da Disney: Frozen, A Pequena Sereia, Enrolados e A Bela e a Fera. Mais informações podem ser vistas na página do evento. É possível comprar ingressos nos links localizados nesta página.

Fonte

Até agora estão confirmadas as seguintes cidades:


Porto Alegre - 23/5/2017 - 28/5/2017
Ginário Gigantinho

São Paulo - 31/5/2017 - 8/6/2017
Ginário do Ibirapuera

Rio de Janeiro - 14/6/2017 - 18/6/2017
Jeunesse Arena
Brasília - 23/6/2017 - 25/6/2017
Ginásio Nilson Nelson


Caso a sua cidade não esteja aqui, eu aconselho a acompanhar a página do evento, pois eles ainda estão incluindo mais locais. Ano passado houve shows em outras cidades, como Belo Horizonte e Fortaleza.

Os preços variam muito de cidade para cidade e de setor, então aconselho a entrar na página para escolher a melhor opção.


E aí, alguém vai ao evento? O que esperam do show esse ano?

Até mais!


| Este post não é um publieditorial |

© Figure Skating Brasil - 2017. Todos os direitos reservados.
Design by: Thays Martins.
imagem-logo